Livros da Sophie Kinsella - Parte II

08:00

Muito bem, tô continuando a vibe do post da semana passada sobre a querida Sophie Kinsella. Eu tinha indicado comentado alguns livros, clica aqui, mas são muitos.
Eu não vou mentir, guardei o melhor por final, SOU DESSAS, HELLO, ME JULGUEM.

5. A Lua de Mel (Wedding Night)

Eu tenho muito orgulhinho meu em relação a esse livro, porque eu fiz aloka, comprei ele em inglês e consegui ler! Uhúl. Eu e meu inglês de quinta série, arrasamos!
Esse livro é beeeem diferente. Ele é contado em primeira pessoa, sim, mas cada capítulo é narrado pela Lottie ou a a Fliss. A história é maravilhosa, eu me envolvi hard nesse livro. A Lottie sofre um fim de relacionamento porque o bonito dela pelo visto não quer casar. Sendo que ela é aquele tipo lhoko que quando termina um relacionamento SEMPRE faz algo desastroso (tipo pintar o cabelo de uma cor estranha ou entrar pra uma religião nova). A irmã dela, Fliss, vai fazer de tudo pra evitar isso. Porém, acontece que o "unfortunate choices" (Fliss batizou assim hahahaha) da vez é apenas que a Lottie vai se casar... com outro! Um ex de mil anos atrás que ela reencontrou! Comassim?! Do nada?! Já imaginou a doideira? Pois taí, vale a pena ler! É muuuuito bacana.

6. Menina de Vinte (Twenties Girl)

Ai, que delícia esse livro. Eu não consigo falar de tantos livros especiais assim, quase tenho que fazer uma pausa pra respirar. Eu sei que eu não sou chegada a coisas históricas demais, ou aquela vibe chata de velharia, aula de história etc. Mas esse livrinho veio dosado. A protagonista Lara, de repente, começa a ser assombrada pelo espírito da tia-avó. Assombrada não, é mais infernizada. A Sadie (a tia-avó) tem uma aparência jovem, dos anos 20, nada assustadora, apenas uma jovem de personalidade forte, insistente e brincalhona até. Ela deseja ter o colar que sempre usava na época de volta e a missão da Lara é ajudar. Vocês não imaginam o quanto os personagens são bem trabalhados. Esse livro é maravilhoso. Eu me senti dançando Charleston com as miga personagem! E claro, além de MORRER de rir com as coisas todas, tem toda a parte de romancezinho e é maravilhosa (porque nós amamos, confessem).

7. À Procura de Audrey (Finding Audrey)

Esse é um dos últimos livros lançados da Sophie. E também é o primeiro young adult* dela. Audrey não é exatamente uma garota comum. Ela usa óculos escuros sempre, até mesmo dentro de casa e meio que só fala com as pessoas da casa. Isso porque ela desenvolveu esse problema psicológico que nem precisamos nomear. A questão inteira do livro não é o problema da Audrey, mas o fato de que ela conhece alguém que ajuda ela a passar por esse momento, e assim até, tipo, se apaixonar. Ou seja, Audrey, óculos escuros sempre, contato humano, pessoas novas, paixonites, etc. Esse livro vale a pena demais! A temática diferente é um super acerto. Parabéns, Sophie.  

8. Fiquei com seu número (I've got your number)

O MEU PREFERIDO! Por mais que eu ame a Becky Bloom, "Fiquei com seu número" talvez seja um preferido DA VIDA! A história é maravilhosa, o humor, é tão real, tão vidinha de hoje em dia, que eu me apaixonei. Como toda história da Sophie começa tudo bem louco e embolado. Poppy Wyatt fica noiva, porém ela APENAS perde o anel de noivado num evento em um hotel. Pra somar as coisas, roubam o celular dela. Então milagrosamente ela acha um telefone no lixo e dá esse número pro hotel (caso eles encontrem o anel). Só que ela descobre que o número é uma linha importante de um executivo fodão e ele quer o celular de volta! Mas já que ela não, não mesmo, vai abandonar o número, eles meio que acabam compartilhando a linha. É aí que a história lhoka começa. É muito engraçado. É muito divertido. E cara, acho até que vou ler ele de novo agora!! Por favor, LEIAM!


- E MAIS:

A Sophie Kinsella escreveu livros com o nome verdadeiro dela - Madeleine Wickham - e o único que li foi "Louca pra Casar". 

Aqui a protagonista Milly, está prestes a casar... Mas o que ninguém sabe é que ela já é casada! E a única pessoa que sabe e pode estragar a vida é ninguém menos que o próprio fotógrafo. É bizarro. Mas a história não é tããão boa quanto as história já escritas com o nome Sophie. Parece um treino para chegar lá, na perfeição. Porém, fica a dica, né.


Beigox, ramigos queridos. Isso é tudo, pessoal.

*young adult (YA): na minha opinião, é o gênero literário do limbo. Não é tão adulto mas também não é tão juvenil. Tem temáticas mais pesadas ou sérias. Tipo 'A culpa é das estrelas', 'Jogos Vorazes', etc.

You Might Also Like

0 comentários